O Corpo em Movimento

Psicomotricidade
Psicomotricidade 11 Janeiro

Tomografia de Coerência Ótica

OCT
OCT 11 Janeiro

O corpo alcança o que a mente quer.

Fisioterapia Infantil
Fisioterapia Infantil 20 Setembro

"Os direitos dos doentes não têm fronteiras"

Active Citizenship Network
Active Citizenship Network 21 Setembro

O Linfoma atinge cerca de 1700 portugueses por ano!

Dia Mundial do Linfoma
Dia Mundial do Linfoma 15 Setembro
Psicomotricidade

O Corpo em Movimento

Psicomotricidade 11 Janeiro

A Psicomotricidade é a área do conhecimento transdisciplinar que estuda o ser humano através do seu corpo em movimento, na relação entre as funções psíquicas e a motricidade. Baseada numa visão global do ser humano, a psicomotricidade encara de forma integrada as funções cognitivas, socio-emocionais, simbólicas, psicolinguísticas e motoras, de forma a promover a intencionalidade do gesto. O foco da intervenção centra-se na promoção da capacidade do indivíduo agir com o outro, com os objetos e consigo mesmo.

A Psicomotricidade intervém em diversas áreas, com especial incidência sobre as seguintes perturbações de origens orgânicas, desenvolvimentais, emocionais e comportamentais:

- Perturbações Específicas do Desenvolvimento das Aptidões Académicas (Leitura, Escrita, Aritmética);

- Perturbações Emocionais e do Comportamento (Perturbação de Hiperactividade e Défice de Atenção, Perturbação da Conduta, Perturbação de Oposição, Perturbações de Adaptação, Perturbações da interação Social);

- Perturbações do Desenvolvimento da Coordenação Motora;

- DAMP (Défices na atenção, na percepção e na área motora);

- Perturbações do Espectro do Autismo;

- Perturbação do Desenvolvimento Intelectual;

- Perturbações Neuro-Motoras resultantes de Doenças Degenerativas (Hipertonia, Hipotonia, Alterações na Regulação Postural);

- Outras.

As diversas atividades são realizadas em contexto individual e envolvem programas especializados e direccionados às dificuldades específicas de cada criança, surgindo autonomamente ou em paralelo com outras áreas, caso necessário. Deste modo, abrange crianças e jovens e procura promover o desenvolvimento das competências (motoras, cognitivas, académicas, comportamentais e sociais) essenciais à autonomia e independência do indivíduo e ao seu consequente bem-estar.

Engloba as seguintes vertentes:

Intervenção Precoce: atividade sistemática, concebida e planeada para prevenir e maximizar o desenvolvimento de crianças (0 aos 6 anos) que apresentem disfunções ou se encontrem em diversas situações de risco (por exemplo prematuridade), bem como, prestar todo o apoio às respectivas famílias;

Reeducação Psicomotora: acção pedagógica-terapêutica sistemática que implica uma medicação corporal de perturbações expressivas, na qual o terapeuta compensa condutas inadequadas e desajustadas: grafismos, coordenação motora, posturas, equilíbrio;

Programas de Competências Sociais: intervenção cujo principal objectivo é a facilitação do relacionamento interpessoal, englobando áreas relacionadas com as componentes verbais e não verbais da comunicação, estratégias de solução de problemas, desenvolvimento de competências sociais e treino assertivo;

Programas de Competências Cognitivas: promovem a modificabilidade cognitiva e a adaptabilidade do individuo com problemas e/ou dificuldades de aprendizagem (com baixo rendimento cognitivo e/ou em risco de exclusão social). Desenvolve os pré-requisitos da aprendizagem e capacidades de reaprender, corrigindo ou compensando disfunções cognitivas de recepção, elaboração e expressão de informação, ampliando e expandindo o potencial habilitativo do indivíduo.

Quando a criança é encaminhada para intervenção psicomotora, é realizada uma avaliação detalhada das áreas necessárias para construir um perfil do neurodesenvolvimento e do comportamento. Posteriormente, é traçado um plano de intervenção e inicia-se uma intervenção estruturada.

Os três principais âmbitos da psicomotricidade são:

Preventivo: promoção e estimulação do desenvolvimento;

Educativo: estimulação do desenvolvimento psicomotor e do potencial de aprendizagem;

Reeducativo ou terapêutico: intervenção nos problemas de desenvolvimento, de aprendizagem e/ou do comportamento e, ainda, patologias de ordem psíquica que comprometem a qualidade de vida do indivíduo. A terapia psicomotora é indicada para todas as problemáticas que afetam os seguintes domínios: motricidade global e fina, planificação, sequenciação e execução do gesto; perceção auditiva, visual e tátil-cinestésica; tónus; orientação espacial e temporal; lateralidade; aquisição da escrita e comunicação verbal e não-verbal.

 

 
OCT

Tomografia de Coerência Ótica

OCT 11 Janeiro

O OCT (tomografia de coerência óptica) é um dos mais recentes exames de imagem que é utilizado em muitas doenças oculares. Permite estudar a retina e a região anterior do olho nomeadamente a córnea, a iris e o cristalino.

O exame é rápido, indolor, não invasivo e não há contato do aparelho com o olho do paciente.

Está indicado no diagnóstico precoce e seguimento das doenças da retina, nomeadamente na diabetes e na degenerescência macular. É também muito importante na avaliação e seguimento nos casos de glaucoma.

O equipamento que dispomos permite a realização de Angiografia-OCT. É um novo método de análise da vascularização da retina e da coróide sem a necessidade da injeção de contraste, grande vantagem em relação à Angiografia Fluoresceínica tradicional.

O exame de OCT é, na actualidade, um instrumento imprescindível no diagnóstico de várias doenças dos olhos, no seu seguimento e estudo da eficácia dos tratamentos.

 
Fisioterapia Infantil

O corpo alcança o que a mente quer.

Fisioterapia Infantil 20 Setembro

O que é a fisioterapia pediátrica?

É uma área clínica da fisioterapia que se centra na melhoria da qualidade de vida de crianças dos 0 aos 18 anos, na sua integração social e familiar e no aumento da sua funcionalidade. Este projeto tem como objetivo promover a saúde das crianças, nas diversas áreas de atuação, com especial enfoque no ensino de estratégias aos pais ou cuidadores.

A Fisioterapia não atua somente no tratamento, mas também na prevenção. Ou seja, seria igualmente importante a criança ser avaliada pelo Fisioterapeuta nas diferentes etapas de desenvolvimento previstas para a idade (ex: 3, 6, 9, 12 e 15 meses de idade).

Fisioterapia no desenvolvimento sensório-motor:

O alcance de algumas etapas do desenvolvimento podem ser diferentes de criança para criança, sem que isso signifique necessariamente a presença de uma patologia.

Com o acompanhamento do Fisioterapeuta, a criança irá experienciar sensações e posições que, sozinha, teria dificuldade. 

Desta forma, a criança irá ter uma melhor interação com os brinquedos, com as pessoas e com o espaço que a rodeia, desenvolvendo para além da componente motora, as capacidades manipulativas, linguísticas e comportamento social.

Fisioterapia na patologia:

A Fisioterapia destaca-se essencialmente como terapia que ajuda a potenciar a mobilidade e a funcionalidade, que podem estar comprometidas nas perturbações do sistema músculo-esquelético, respiratório e neurológico.

Consoante o diagnóstico médico e a avaliação do fisioterapeuta, delineia-se os objetivos em conjunto com os pais e define-se um plano de tratamento.

Onde podemos intervir?

Sistema Músculo-esquelético

  • Torcicolo muscular congénito
  • Deformações cranianas: braquicefalias, plagiocefalias
  • Displasia da anca
  • Alterações posturais
  • Obstipação e cólicas

Sistema Respiratório

  • Infeções respiratórias/obstrução nasal
  • Bronquiolites
  • Asma

Sistema Neurológico

  • Atraso de desenvolvimento psicomotor
  • Parésias faciais
  • Plexopatias braquiais
  • Perturbações do comportamento (défice de interação social, autismo…)

 

Ponta Delgada, 18 de Setembro de 2017

Fisioterapeuta Mariana Amaral Ferreira (imagem esq.)

Fisioterapeuta Sara Oliveira Valério  (imagem dir.) 

 

 

 

Active Citizenship Network

"Os direitos dos doentes não têm fronteiras"

Active Citizenship Network 21 Setembro

A Active Citizenship Network (ACN) no âmbito da campanha de comunicação da UE "Os direitos dos doentes não têm fronteiras", pretende contribuir para a implementação adequada da Directiva 2011/24/UE sobre cuidados de saúde transfronteiriços em cada Estado-Membro da UE. Em Portugal, a campanha "Patients’ rights have no borders" é realizada graças à Associação de Doentes de Dor Crónica dos Açores  (Chronic Pain Patients Association of Azores), com a qual, recentemente, a A CSS fechou protocolo de colaboração.

O folheto seguinte, integra materiais informativos já produzidos pela Comissão Europeia com detalhes mais úteis, como contactos do Ponto de Contacto Nacional e de organizações cívicas e de doentes, disponíveis no país, informação para pessoas afetadas por doenças raras, etc.

http://www.clinicasaosebastiao.com/imgs/uploads/files/Cuidados-de-Sa-de-Transfronteiri-os_portugu-s(1).pdf

Site: http://www.activecitizenship.net

Facebook: https://www.facebook.com/activecitizenshipnetwork/

 

 

 

 

 
Dia Mundial do Linfoma

O Linfoma atinge cerca de 1700 portugueses por ano!

Dia Mundial do Linfoma 15 Setembro

A patologia oncológica:

O linfoma é uma neoplasia maligna que resulta do crescimento anormal de células do sistema linfático, é a quinta causa de morte relacionada com cancro nos homens e a sexta causa de morte nas mulheres.

Sintomas:

Os sintomas do linfoma são pouco específicos, porque são comuns a um grande número de doenças, o que dificulta o diagnóstico inicial. O sintoma mais frequente é o aparecimento de um gânglio linfático aumentado de tamanho, que não causa dor e pode estar localizado no pescoço, axilas ou virilhas. Outros sintomas que podem surgir são: suores intensos durante a noite, febre sem explicação, cansaço extremo e perda de peso inexplicável. Por vezes não existem quaisquer sintomas e o linfoma é descoberto de forma acidental durante um exame médico de rotina.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito por meio de biópsia ganglionar excisional nos casos onde exista suspeita clínica.

Classificação

De certa forma podemos classificar o linfoma em duas categorias: os linfomas de Hodgkin e os linfomas não-Hodgkin .Cada categoria abrange inúmeros subtipos de linfomas mais específicos ainda que com comportamentos biológicos e prognósticos diferentes.

Tratamento

Quanto ao tratamento, a quimioterapia e a radioterapia são os mais indicados dependendo sempre de cada subtipo de linfoma, extensão da doença e das características do paciente em questão.

 

 
Utilizamos cookies próprios e de terceiros para lhe oferecer uma melhor experiência e serviço. Para saber que cookies usamos e como os desativar, leia a política de cookies.
Ao ignorar ou fechar esta mensagem, e exceto se tiver desativado as cookies, está a concordar com o seu uso neste dispositivo.